Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

the ana show.

neste blog nenhuma realidade será embelezada!!

the ana show.

Seg | 28.10.19

A minha experiência enquanto vegetariana!

vantagens-alimentacao-vegetariana.jpg

Há uns tempos atrás eu resolvi que iria experimentar ser vegetariana, tendo por minha motivação a proteção dos animais. Assim, decidi que iria fazer tudo direitinho!

Primeiro, andei a ler na internet as vantagens e desvantagens sobre ser-se vegetariano e tudo indicava que seria um mar de rosas. Depois, falei com pessoas que conhecia que eram vegetarianas e pedi conselhos. Todos me disseram para me informar com uma nutricionista e que teria de ter muitos cuidado para que não me faltasse essencialmente proteína e ferro.

Assim fiz, fui a uma nutricionista e planifiquei tudo muito direitinho de como iria gerir a minha dieta, sendo que comeria ovos, iogurtes sem lactose (porque sou intolerante à lactose) e crustáceos, de modo a não perder a proteína animal. Também me disse que quanto mais variado fosse o mais prato, melhor! Apliquei isso no meu dia-a-dia.

No entanto, comecei a sentir-me sempre muito cansada e sem motivação para estudar ou sequer saí de casa. Devido a diversos fatores na minha vida pessoal misturados com o facto de ser vegetariana, a nível psicológico não andei muito bem.

Por isso, agora optei por uma dieta semi-vegetariana. Todos os dias como uma refeição vegetariana e uma com carne ou peixe. Deste modo, consegui ganhar outra vez força e energia! É, por isso, que, se andas a pensar ser vegetarian@, eu te recomendo optares por uma dieta semi-vegetariana. Parece que não, mas a nossa alimentação influencia diversos outros fatores e eu aprendi isso da pior maneira.

Eu sou altamente defensora dos animais e confesso que me faz alguma confusão comer carne, mas tem de ser... Eu tentei fazer tudo direitinho, mas não resultou de todo e tive de voltar a comer carne, agora em menos quantidade do que dantes, mas mesmo assim continua a ser carne.

Não aconselho ninguém a tornar-se 100% vegetarian@, pela minha  experiência, mas se realmente estás decidid@ a tentar, vai em frente, mas põe-te sempre em primeiro lugar. Eu não o fiz e penso que foi esse o meu grande erro. Não reparei nos sinais de aviso, até que "bati no fundo". Não cheguei a desenvolver anemia, nem nenhuma doença, graças a deus, mas esta experiência foi, sem dúvida, algo que me afetou muito pelo lado negativo.

Respeito quem é vegetariano e que consegue fazer com que isso resulte, até os admiro, mas para mim não resultou, muito infelizmente. Agora sou semi-vegetariana e assim tenciono continuar durante muito tempo!

xx ana

Seg | 28.10.19

25 anos de Friends!

cropped-friends2-7.jpg

Resolvi trazer-vos hoje um post sobre umas das minhas séries favoritas de todos os tempos: FRIENDS!

Para quem não conhece: primeiro de tudo, já devia conhecer, mas se não conhece, a série fala de um grupo de 6 amigos (Monica, Rachel, Phoebe, Chandler, Joey e Ross). É bastante difícil definir um enredo certo desta série porque está constantemente em mudança. Basicamente, retrata a vida deles.

Não sei quanto a vocês, mas eu sempre tive uma paixão pela Phoebe e o Joey. São de longe os meus personagens favoritos! Enquanto que é bastante fácil gostar do Joey, gostar da Phoebe já não é assim tão simples. É uma personagem muito complexa quanto à história do seu passado, a ponto de apenas uma pessoa que acompanhe desde início consegue perceber as piadas dela.

gettyimages-143479826.jpg

Comecemos pela Phoebe Buffay, como já disse anteriormente, é uma personagem extremamente complexa, que é interpretada por Lisa Kudrow. Ela acredita muito na espiritualidade, como por exemplo reencarnação e a existência de vidas passadas. É uma pseudo cantora que atua regularmente no Central Perk, garanto que vão dar muitas risadas com as músicas dela!

 

tumblr_ppmdu6rRpb1tdxyhao2_250.png

A Monica Geller é uma personagem muito simples, na minha opinião, e é interpretada por Courtney Cox! É uma cozinheira bem sucedida, trabalhadora, competitiva, obcecada por limpezas e organização. Ela é das personagens mais marcantes para quem não vê a série desde início porque faz piadas muito genéricas, sobre assunto que qualquer pessoa entende porque não exige conhecimento passado da série.

99162f5c9371d170759f2c204b349a19.jpg

Por último nas raparigas, temos a Rachel Green, interpretada pela mítica Jennifer Aniston. Esta personagem é a que muda mais ao longo da série. Ela começa como uma rapariga mimada e burra que fugiu do seu casamento por não estar apaixonada pelo seu noivo. No entanto, após ir viver com Monica e ser entregue a si mesma, ela torna-se uma mulher forte, independente, bem sucedida na área da moda. É das personagens com mais piada ao longo da série e que diz uma das minhas frases perferidas ("Just so you know, it’s not that common, it doesn't happen to every guy and IT IS A BIG DEAL!").

friends-story_647_081915102603.jpg

Passemos, agora, aos rapazes e comecemos com o Chandler Bing, interpretado por Matthew Perry! É uma personagem super sarcástica, é especialmente marcado por isso! É um homem bem sucedido na sua profissão e é marcado pelo que tem menos sucesso nas suas relações amorosas, sendo que é "perseguido" pela sua ex-namorada, Jenice! É uma personagem muito difícil de caraterizar, porque ele é ele e acho que esta é a melhor caraterização que posso fazer.

tumblr_peuo89xhMW1wiwetno8_250.png.jpg

Falemos agora do meu querido Joey Tribbiani, interpretado por Matt LeBlanc. Esta é a personagem mais mulherenga! O Joey não é o mais inteligente deles, definitivamente, mas é o que te irá fazer rir mais ao longo de toda a série. Tem um sentido de humor muito básico, que, por norma, não requer um conhecimento muito aprofundado da série. É o detentor da frase mais marcante de toda a série: HOW YOU DOIN'?

6fg26yh8ppt21.png

Por último, temos o Ross Geller, irmão da Monica, e é interpretado por David Schwimmer! Ele é o mais inteligente de todo o grupo. É marcado pelos seus múltiplos casamentos falhados. Todo o seu caráter cómico prende-se com o facto de ser paleontólogo e de todos os divórcios por que já passou. O Ross é extremamente conhecido pelo Unagi, um dos gestos mais marcantes de toda a série, bem como a maneira alternativaque ele criou para fazer o dedo médio à irmã enquanto eles eram mais novos.

 

Sem dúvida alguma que esta série vai alegrar os teus dias! É uma série bastante leve, que se vê rapidamente apesar de ter 10 temporadas. No ínicio as piadas são mais antiquadas, visto que a série começou em 1994, mas, ao longo do desenrolar da ação, notamos um avanço não só nas piadas que são feitas, como nas roupas, os penteados, etc.

Recomendo mesmo, mesmo muito que vejam, garanto que não se vão arrepender!

xx ana

Dom | 27.10.19

O meu blog deu o estoiro!

Quero agradecer a todos que vieram especialmente ver o meu post sobre o Casados à Primeira Vista! Não estava à espera mesmo que o meu blog atingisse este número de visualizações. É incrível como eu falo de uma série de HBO, ninguém quer saber, falo do Aliexpress, pronto já tenho um comentário e tal, falo de Casados à Primeira Vista e tenho direito a 3945 visualizações e 19 comentários!

Quero agradecer também pelos comentários elogiosos e de concordância com o meu post!

Volto amanhã com mais posts fresquinhos!

xx ana

Dom | 27.10.19

Casados à Primeira Vista: a desgraça da televisão portuguesa!

casados.jpeg

Um dos programas mais polémicos da atualidade é o Casados à Primeira Vista e eu não nego que realmente é interessante ver as figuras a que certas pessoas se prestam para terem fama.

Sim, eu sou das que acredita que ele vão para lá pela fama e não pela relação em si. Ou se calhar é isso que quero acreditar para fingir que ainda tenho fé nesta sociedade em que vivemos. Eu realmente acho impossível pessoas que até são bem parecidas e simpáticas terem de ir para um programa da televisão daqueles para encontrar o suposto "amor da vida deles".

Isto tudo já para não falar dos "especialistas". E porquê entre aspas? Simplesmente, porque, mais uma vez, é impossível que eles sejam bons profissionais e não consigam acertar um único match. Por exemplo, o "match" entre a Ana Raquel e o pobre Paulo. Primeiro, como é que os "especialistas" não viram na suposta pré-seleção bastante criteriosa que a Ana Raquel tinha uma personalidade desprezível. Segundo, como é que os "especialistas" decidem arranjar-lhe um par que não tem nada a ver com o que ela tinha pedido!? Estas são, de facto, perguntas que me atormentam porque é impossível que eles sejam especialistas, ou seja, tenham um elevado conhecimento na área dos relacionamentos amorosos, e não consigam acertar um único casal. Spoiler alert: se ainda não sabias, sim os casais desta segunda edição do Casados à Primeira Vista já estão TODOS separados.

Eu, realmente, penso que só pode haver duas explicações para estes erros são:

  1. Eles não são realmente especialistas (e, provavelmente, nem têm curso nesta área)
  2. Eles fazem de propósito para haver discussões e terem mais audiências

Acho que acredito mais na 2ª opção, mas uma coisa é certa: é ridículo profissionais na área venderem-se de forma a fazerem "casais falsos" para darem audiências à SIC.

Gostava de ouvir a vossa opinião também sobre este programa, por favor deixem um comentário, estou muito curiosa.

xx ana

Sex | 25.10.19

"The Act" (A minha opinião)

3039972.jpg

Hoje, venho-vos dar a minha opinião sobre a série do HBO "The Act". Para quem não sabe, esta série fala de um caso verídico que aconteceu na América.

"The Act" fala do assassinato de uma mulher chamada Dee Dee Blanchar, que foi morta pela sua filha, Gyspsy Rose. Sem querer dar spoiler, Dee Dee Blanchar fazia Gyspsy pensar que tinha diversas doenças, de modo a ganhar dinheiro. No entanto, Gypsy acaba por se aperceber que não sofre de condição nenhuma e planeia o assassinato da própria mãe em conjunto com o seu namorado. Atualmente, Gypsy está presa a cumprir a sua pena de 10 anos e o namorado encontra-se em prisão prepétua.

Eu já vi esta série há algum tempo, mas resolvi que deveria falar um pouco sobre ela porque me marcou bastante. Eu devo dizer que fiquei quase um bocadinho "apaixonada" pelo caso, no sentido em que a investigação foi tão complexa porque havia demasiados fatores graves a analisar, como o facto de Gypsy se sentir revoltada com tudo o que a mãe a fazia passar. Por outro lado, a mãe também sofria de uma síndrome que fazia com que ela acredita-se mesmo que a filha estava doente. Segundo o que percebi na minha pesquisa, esta síndrome da mãe funcionava da seguinte maneira: a mãe gostava tanto da filha que via doenças onde elas não existiam e então tratava-a como uma doente, apesar de ela ser uma criança totalmente suadável.

Todo este caso foi alvo de muita discussão e realmente muitas questões se formam na minha cabeça sempre que penso sobre isto. Será que Gypsy teve efetivamente culpa ou isto pode ser visto como defesa? Por uma lado, a Gypsy planeou e executou, efetivamente, um crime. Por outro lado, tudo o que ela passava deve servir de atenuante, mas a mãe também não tinha consciência do que fazia a filha passar. Toda eu me divido quanto a este caso e penso que nunca vou chegar a uma decisão concreta sobre quem teve mais culpa no meio disto tudo.

Quanto à série em si, é de louvar a performance de Joey King, a atriz que interpreta o papel de Gypsy Rose. Toda a atuação dela é magnífica, mas uma coisa que me deixou completamente rendida foi a capacidade dela imitar a voz da verdadeira Gypsy. No meio de todas as doenças, a mãe de Gypsy nunca lhe disse verdadeiramente a sua ideia, ou seja, ela achava que era muito mais nova do que o que realmente era e, por isso, falava de maneira peculiar, com voz de criança.

Eu senti-me obrigada a ir ver o julgamento de Gypsy (que está disponível no youtube) e, quando vi, fiquei realmente maravilhada com a capacidade de imitação de Joey King.

Recomendo vivamente que vejam a série, mas peço que, se não se sentirem capaz, não vejam, pelo menos para já. É uma série "pesada" e cheia de coisas muito macabras e cenas chocantes. É uma série que vos irá deixar a pensar.

xx ana

Qui | 24.10.19

A minha experiência na praxe

Trago, agora, um assunto muito polémico e que causa muita divergência de opiniões: A PRAXE!

O ano passado eu fui caloira e, evidentemente, que quis experimentar a praxe. Gostei bastante, deu-me, de facto, memórias inesquecíveis que nunca teria se não fosse a praxe, mas também deu algumas menos boas.

Para começar, eu fui para um faculdade em que não conhecia absolutamente ninguém e, por isso, a praxe funcionou muito comigo no sentido de integração. Fiz amizades incríveis dentro de praxe, amizades que vou levar comigo para o resto da vida e tivemos momentos que só quem lá está é que compreende. Quem diria que eu alguma vez iria deslizar numa lona de plástico com água e detergente no Parque da Cidade!? Saí de lá encharcada, a parecer uma maluquinha, mas é daquelas coisas que vou poder contar aos meus netos que fiz e a maioria das pessoas não o pode fazer.

São estes momentos que fazem a praxe valer pena, apesar dos aspetos menos positivos. Não posso dizer que tenha tido experiências más dentro de praxe, apenas coisas menos boas, como por exemplo desentendimentos entre o nosso grupo de caloiros. É como tudo, há desentendimentos mas tudo se acabava sempre por resolver.

Ao contrário do que muita gente diz, eu não concordo que a praxe seja abusiva, pelo menos a praxe a que eu pertenci. Serviu para me integrar e criar memórias que contadas não parecem nada de especial, mas, tendo estado lá, sei o que elas significaram.

Este ano (2ºano da faculdade) acabei por sair da praxe, mas com muita pena minha. Era algo que não queria que acontecesse mas não conseguia mesmo continuar por falta de tempo. Saí de praxe, mas recuso-me a não ser académica. Continuo a ir a todos os eventos académicos, como a Latada e a Queima, trajada e com muito orgulho! A vida académica é realmente uma coisa que só se vive uma vez e que deve ser aproveitada ao máximo!

Desengane-se quem diz que a faculdade é só estudar! Exige muito estudo, mas com uma boa organização de tempo, também se consegue fazer coisas espetaculares.

E é isto, aqui está um post um pouco sobre a minha vida, nomeadamente académica e de praxe. Espero que tenham gostado e se tiverem alguma dúvida sobre praxe ou se quiserem saber mais sobre a minha opinião não hesitem em enviar mail, estou aqui para desmitificar todo esse mundo.

xx ana

Qui | 24.10.19

Olá, sou obcessivo compulsiva!

dc32e36dc626f6d121c3603b6b05a2c2_L.jpg

Hoje venho-vos falar de um tema bastante pessoal que é a minha vida enquanto pessoa obcessivo compulsiva.

Para quem não sabe o que isto é, o transtorno obcessivo compulsivo é caraterizado por obsessões, compulsões ou as duas. Obsessões são ideias, imagens ou impulsos recorrentes e indesejados que provocam ansiedade. Compulsões (aka rituais) são hábitos (ações ou atos mentais) que a pessoa se sente obrigada a praticar para tentar diminuir ou evitar a ansiedade causada pelas obsessões.

Como, por exemplo, uma coisa que eu faço bastante e em que se nota bastante este transtorno é eu ter as canetas todas viradas para o mesmo sítio dentro do meu estojo e que, normalmente, a ponta das canetas tem de estar virada para o lado onde o fecho fica quando o estojo está aberto. Sim, eu sei que é ridículo, tenho perfeita noção disso, mas lá está é um ato que eu me sinto obrigada a fazer senão começo-me a sentir encomodada e não me consigo focar em mais nada se não o fizer.

Outro dos meus maiores hábitos é o de sempre, antes de dormir, ter de me certificar que tenho a porta aberta, a ponto dela estar encostada àquele batentezinho no chão. Se a porta estiver ligeiramente afastada do batente, nem que seja um milímetro, eu já não consigo adormecer até ter ido encostar a porta ao batente.

Isto são só alguns exemplos onde mais se nota este transtorno, porque depois há outras pequenas coisas que me causam ansiedade, como por exemplo pessoas que conjugam roupas cor-de-rosa com vermelho. É uma coisa aparentemente insignificante e que a maioria das pessoas consideraria apenas como uma combinação da qual não se gosta, mas para mim é algo que me faz impressão a ponto de eu ficar incomodada com isso.

Sei que não sou a única que sofre deste transtorno, por isso por favor comentem as coisas que mais vos dão ansiedade (se também são obcessivo compulsivos) para eu não me sentir tão solitária.

xx ana

Qua | 23.10.19

Sou viciada em compras no AliExpress

11578001112151635.png

Venho-vos falar sobre uma coisa que tenho vindo a reparar em mim que é: ESTOU VICIADA EM COMPRAS NO ALIEXPRESS.

Para quem não conhece, o AliExpress é um site de compras online chinês, onde se podem fazer compras estupidamente baratas e sem portes, do género brincos a 0,10€ e sem portes. Sim, isto existe mesmo e eu estou completamente viciada.

Já falei com várias pessoas e, para meu consolo, não sou a única viciada em AliExpress, porque a verdade é que este site nos torna compradores compulsivos com os seus preços ridiculamente baixos. Eu dou por mim a comprar coisas de que não preciso de maneira nenhuma, como por exemplo uma capa para o telemóvel a 0,80€, que é algo que não preciso de todo, visto que já mandei vir outras tantas antes.

Para além disso, o AliExpress também oferece um sistema de moedas virtuais em que basicamente vamos lá todos os dias, carregamos num sítio e puff... ganhamos não sei quantas moedas virtuais sem ter de fazer mais nada sem ser ir lá buscá-las. Estas moedas servem, depois, para ter direito a cupons de desconto ou então, se formos lá às 8h da manhã e se tivermos muita sorte, conseguimos comprar coisas a 0,01€ + x dessas moedas. Isto é outra coisa que me tem deixado muito, mas mesmo muito obcecada, porquer todos os dias vou lá toda contente buscar as minhas moedinhas mal acordo às 7h da manhã e ficou às espera das 8h enquanto tomo o pequeno-almoço para ver se arranjo alguma coisa que, mais uma vez, não preciso a 0,01€. Escusado será dizer que nunca tive essa sorte porque estou a competir com os chineses e todos sabemos que eles são mais que as mães...

A única coisa chata deste site é que as coisas demoram milhões de anos a chegar, do género comprei a prenda de Natal do meu namorado em junho e ela ainda não chegou. Mas isto também é um caso extremos porque há coisas que demoram só duas semanas, é preciso é ter sorte com os correios.

Aqui ficam com um dos meus maiores vícios (depois de Mario Kart Tour, obviamente). Espero que tenham gostado e se ainda não foram ao AliExpress, não vão a sério, depois da primeira compra nunca mais se pára...

xx ana

Qua | 23.10.19

Fiz arrumação às minhas roupas e ganhei um guarda-roupas novo

É verdade, ao fim de anos a fio eu decidi fazer uma grande arrumação a TODA a minha roupa (e acreditem é mesmo MUITA roupa). A verdade é que cheguei à conclusão que 90% das roupas que eu tinha já não me serviam porque eram de quando eu tinha 10 anos.

Por vezes, caímos no erro de acumular e acumular roupa e nem damos conta, porque o tempo passa e nós vamos deixando andar, ainda há ali espaço para por as roupas que se vai comprando e tal e vai-se ficando com o armário cada vez mais cheio. No entanto, chegou a um ponto em que eu queria comprar roupa nova e já nao tinha espaço para guardar mais roupa! Foi assim que decidi que ia perder um dia inteiro e fazer uma mega-arrumação à minha roupa.

Assim, cheguei às seguintes conclusões:

  1. 90% das minhas roupas já não me servem;
  2. A disposição da roupa por cores ajuda IMENSO;
  3. Tenho roupas que nem fazia ideia que tinha.

E nisto tudo, o que mais me surpreendeu foi a 3ª! Eu tinha roupas que nunca usei e que nem sabia que tinha, roupas que eu nem sei porque nunca usei porque são lindas!

Então, depois de tirar tudo o que já não me serve e de dar essa roupa toda, decidi dispor as roupas por cores e acho que ninguém tem noção do jeito que isso dá até o fazer. Eu achava que era simplesmente obsessão aquelas pessoas que organizam tudo por cores, mas depois reparei que para além de ficar muito mais bonito, também é bastante útil ao escolher a roupa de manhã.

Recomendo vivamente a todos que façam uma limpeza às vossas roupas, porque, com a acumulação, chegamos ao cúmulo de termos roupa que nem sabemos que temos e que até gostamos bastante! Foi exatamente isso que me aconteceu e agora que sei tudo o que tenho, consigo variar muito mais os outfits sem ter de gastar dinheiro nenhum.

Espero que tenham gostado,

xx ana

Ter | 22.10.19

Como é que eu estudo?

Tenho de começar este post por admitir que eu não gostava mesmo nada de estudar durante o meu secundário, mas com o tempo tive de me habituar à ideia de que era, efetivamente, preciso estudar agora que estava na faculdade. Assim, comecei a descobrir diversas ferramentas e técnicas para me organizar e para estudar e isto deixou de ser um sacrifício para mim.

onenote-amazon-app-store-resized-100715365-large.j

A primeira ferramenta é um programa que vim a descobrir que é bastante útil, que é o OneNote. É um programa da Microsoft que facilita bastante a tarefa de tirar notas durante as aulas. Eu costumo usá-lo para escrever tudo o que consiga durante a aula e, depois, quando chego a casa organizo estas notas e faço resumos a partir delas. Também uso bastante o OneNote para me organizar. Como? Muito fácil! Descarreguei vários templates de planner através do site Notegram e todos os dias anoto tudo o que tenho a fazer para o dia seguinte.

og-image.png

Outro programa que também gosto bastante é o My Study Life. Uso essencialmente esta ferramenta para me organizar no horário das minhas aulas. É possível configurar o meu horário lá, bem como em que sala é a aula, a que horas, o nome do professor, entre muitas outras. Isto é bastante útil, visto que eu nunca sou capaz de decorar o número das salas então uso-o maioritariamente para ver essas informações sobre as aulas que vou ter.

Com a minha entrada para a faculdade também mudei substancialmente o meu método de estudo. No secundário eu limitava-me a ler a matéria, sublinhar o que era mais importante e mais nada. Agora, começo por fazer resumos dos PowerPoints que os professores disponibilizam e/ou das notas que eu tirei durante a aula, depois imprimo-os e leio-os e sublinho o importante, acompanhando-os com os PowerPoints caso seja preciso ver alguma coisa que esteja em falta nos resumos.

Quanto ao tempo em que estudo por dia, eu tento estudar durante todo o tempo que tenho disponível. Para isto, é importante ter os dias bem organizados, para que possa ver o tempo livre que tenho e poder encaixar as minhas sessões de estudo nesses blocos de tempo. Costumo estudar bastante tempo seguido, fazendo intervalos sempre que sinto necessidade. Não sigo uma regra muito rigoroza quanto a isto, apesar de os especialistas aconselharem que se deve estudar em blocos de tempo bem definidos com intervalos de tempo também definido pelo meio.

Estas são as técnicas e programas que funcionam melhor para mim e para o meu estudo, mas existem diversas outras ténicas e milhares de programas que podes experimentar para facilitar o teu estudo. Aconselho sempre a fazeres uma pesquisa sobre estes assuntos antes de começares a estudar porque, de facto, ajudou-me imenso mudar os meus hábitos de estudo.

Espero que tenhas gostado deste post e que tenha sido útil.

xx ana